Lifestyle

Por Redação 11.07.2019

Cinco viagens para se fazer no inverno sem gastar muito dinheiro

Não é necessário ir tão longe para ver neve no inverno sul-americano, que começou no dia 21 de junho. Na verdade, muitas vezes não é necessário nem sair do Brasil. Com o começo da estação mais fria do ano, muitos pacotes de viagens se voltam para destinos onde é possível aproveitar o clima da melhor forma – e, por incrível que pareça, sem gastar muito.

SIGA O RG NO INSTAGRAM

Um grande público do Sudeste do País tende a buscar por destinos de inverno mais próximos – os paulistanos viajam a Campos do Jordão, São Francisco Xavier ou Monte Verde (MG), os cariocas vão a Petrópolis e os curitibanos descem a serra em direção a Morretes. No entanto, existem destinos alternativos na região que, para além de pontos turísticos para qualquer brasileiro, contam histórias sobre a própria cultura nordestina, seja na religião, no folclore ou na alimentação.

A seguir, o RG ajuda você a escolher uma viagem para fazer nos dias mais frios do ano sem gastar muito dinheiro.

Poços de Caldas – Minas Gerais
Com mínimas de 7 ºC, a cidade encravada na Serra de São Domingos, em Minas, é mais frequentada por paulistas e fluminenses não apenas pela proximidade – há diversas promoções de passagens aéreas –, mas também pelos atrativos que oferece. “É uma cidade preparada para receber as pessoas que querem aproveitar o frio”, conta a artista plástica Katia Souza, de São Paulo.

Poços possui uma ampla rede de cafés e restaurantes para se esquentar, além de atrações mais românticas, como a Fonte Luminosa, a Fonte dos Desejos e a Fonte dos Amores. Nos últimos anos, a cidade se destacou também por ser rota de eventos literários e musicais. É um destino interessante para quem não pode ir às cidades históricas mineiras, mas não quer deixar de aproveitar o inverno viajando.

Urubici – Santa Catarina
Rodeada por montanhas, serras e imensas formações rochosas, Urubici (181 km de Florianópolis e 60 km de São Joaquim) é uma das cidades mais frias do Brasil. A estação favorece tanto o pequeno município catarinense que ele foi incluído na recém-criada rota “Caminho das Neves de Santa Catarina”, que inclui ainda Bom Retiro, Bom Jardim da Serra, São Joaquim, Rio Rufino, Urupema, Bocaina do Sul, Painel e Lages

“É uma das regiões mais bonitas do mundo e tem uma vocação para atrair turistas de outros países. A rota é um produto que poderá ser vendido e comercializado com o objetivo de atrair mais turistas e desenvolver, de forma sustentável, toda a região”, afirmou o deputado Milton Hobus (PSD), autor do projeto aprovado em outubro do ano passado na Assembleia Legislativa do estado.

As temperaturas chegam a ir abaixo do zero grau em alguns dias específicos do inverno, quando, então, um pequeno e esbranquiçado orvalho cai sobre as casas, hotéis, carros e ruas.

No “Caminho das Neves”, Urubici é um dos destinos mais econômicos por ser um dos menos disputados pelos turistas brasileiros. Quem conhece a pequena cidade se encanta pela paisagem dos morros no horizonte, pelos conjuntos arquitetônicos e pelos estabelecimentos de comidas típicas da Alemanha e da Itália – de onde chegaram muitos dos pais dos atuais moradores. A natureza do município é considerada Patrimônio da Humanidade pela Unesco, pois faz parte da Reserva Mundial da Biosfera da Floresta Atlântica.

São Francisco Xavier – São Paulo
Localizada na região mais alta da Serra da Mantiqueira, São Francisco Xavier (60 km de São José dos Campos e 150 km de São Paulo) é uma cidade famosa pelo seu romantismo. Aos casais que gostam de comidas típicas, bebidas e um clima intimista à noite, é uma dica comum no Dia dos Namorados, por exemplo, quando a hotelaria (a maior parte da cidade possui casas de aluguel com quartos confortáveis, lareira, internet, mas não há quase hotéis).

A praça da Igreja de São Francisco, no centro do município, costuma ser o ponto mais badalado após o pôr do sol: há música ao vivo e restaurantes com cartas de bons vinhos, assim como a Rua XV de Novembro e o Largo São Sebastião, onde estão alguns dos principais lugares para comer. Outra vantagem dos estabelecimentos é que quase todos aceitam a presença de cães e gatos – os chamados pet friendly.

Apesar dos atrativos noturnos, São Francisco Xavier também tem cachoeiras, trilhas e mirantes, além do comércio de frutas e legumes diretamente dos sítios dos agricultores que rodeiam a cidade. Algumas pousadas ficam localizadas exatamente ao pé das montanhas, o que aumenta o frio e, assim, a “necessidade” de ficar juntinho.

Colônia do Sacramento – Uruguai
Para quem pretende aproveitar o inverno fora do Brasil, o Uruguai é uma opção não tão distante e barata. Colônia do Sacramento é uma das referências mais importantes do país, recebendo milhares de visitantes durante o ano. A uma hora de Buenos Aires de barco e a duas horas de Montevidéu de ônibus, a cidade é um remanso onde o visitante se encontra com a cultura, a história e os costumes de um destino inevitável às margens do Rio da Prata.

É um destino tradicional de inverno do país também por suas temperaturas, que podem chegar aos 14 graus durante os dias e até três graus durante as noites. Por isso, a maioria dos estabelecimentos e hotéis conta com sistemas de calefação

O encanto da cidade está vinculado à particularidade da sua história. Uma visita guiada pelo Casco Histórico de Colônia do Sacramento permite submergir na história e se aproximar de um rico legado cultural da vila. Museus, teatros, arte, artesanato e uma boa gastronomia complementam um vasto repertório oferecido ao visitante. Além disso, a cidade tem uma grande oferta hoteleira, com opções que vão desde cadeias de hotéis internacionais até típicas pousadas alojadas em antigas casas coloniais, assim como uma grande variedade de restaurantes.

Uma das melhores atrações de Colônia, curiosamente, é o entardecer. A vista do sol se pondo do farol da cidade é um espetáculo que reúne todos os turistas em um único ponto da cidade no final do dia. Outros pontos importantes são a Calle de los Suspiros e o porto. No bairro histórico, existem ainda monumentos de séculos que permanecem erguidas, como o Portón de Campo, a Iglesia Matriz e a Plaza Manuel Lobo.

Tucumán – Argentina
A última opção é um pouco mais cara e, por que não, mais alternativa. A capital da província de Tucumán, no norte argentino, é conhecida no país como “Jardim da República” por ter sido o local onde se declarou a independência, em julho de 1816. Uma das cidades mais antigas do continente, fundada em 1565, fica rodeada pela Bolívia e pelo Chile, o que faz com que a província como um todo seja repleta de atrações naturais – apesar do clima frio.

Tucumán, ao lado de Jujuy e de Salta, outras províncias do norte da Argentina, reúne registros históricos dos povos nativos antes da invasão espanhola, como as ruínas de Tastil, a maior cidade indígena no território rio-platense. Muitos aventureiros também vão à região em busca do Nevado de Acay, uma montanha de mais de 5 mil metros de altitude que pode ser vista de diversos pontos da região. “Tucumán e Salta são lugares onde habita o folclore argentino, seus pratos típicos, suas histórias. É onde você encontra o autêntico gaucho”, conta Muñoz.

  • Uburici, Santa Catarina Foto: Divulgação