Lifestyle

Por Redação 09.03.2018

Estudo aponta que mulheres traídas se tornam mais confiantes

Descobrir uma traição no relacionamento, a primeira vista, pode ser destruidor para a autoestima. Nesse momento, é comum sentir-se trocada ou rejeitada por outra pessoa. Mas, acredite se quiser: um estudo de psicologia realizado na Inglaterra mostra que essa situação pode, no longo prazo, até beneficiar as mulheres traídas.

A pesquisa analisou 5705 pessoas em 96 países e chegou à conclusão que, depois de se recuperar da choque, as mulheres desenvolvem maior auto-confiança.

O principal motivo para isso, dizem os especialistas, é que elas não estão mais convivendo com a desconfiança do parceiro ou parceira. Além disso, elas crescem com a experiência e têm menos chance de repetir o “dedo podre” em futuros relacionamentos.

“A outra”, por sua vez, é quem sai mais prejudicada psicologicamente da situação: o mesmo estudo mostra que depois do flagrante, a relação entre marido e amante tende a se desfazer. Por esse motivo, o terceiro elemento da relação sofre efeitos da queda da autoestima.

 

 

  • Jennifer Aniston “Somos completas com ou sem parceiro, com ou sem filhos. Quando se trata de nossos corpos, nós, mulheres, podemos decidir por nós mesmas o que é belo ou não. Essa decisão cabe a nós e a mais ninguém. Vamos tomar essa decisão por nós mesmas e pelo bem das mulheres jovens deste mundo que nos têm como exemplos. Vamos tomar essa decisão de modo consciente, longe do barulho dos tabloides. Não precisamos ser casadas para sermos completas. Somos nós que temos que determinar nosso próprio ‘felizes para sempre’”, escreveu a atriz em uma carta aberta.