Beleza

Por Redação 09.01.2020

Muito além do físico, o fisiculturismo é um esporte que trabalha a mente

O fisiculturismo, já considerado como esporte, é um agrupamento de exercícios que tem como objetivo desenvolver o tamanho dos músculos “em modos de definição, proporção, simetria estética e harmonia”, segundo um artigo da Growth Supplements. Se, antes, esse esporte era praticado apenas pelo público masculino, hoje já engloba mulheres também – em especial, aquelas que prezam pela estética proporcionada pelo fisiculturismo.

SIGA O RG NO INSTAGRAM

Para que uma pessoa obtenha sucesso no fisiculturismo atingindo seus resultados, é preciso ir além da rotina de exercícios. Por isso, existe um conjunto de práticas que contribuem para isso, bem como suplementos alimentares, dietas e preparação física e mental. Sendo assim, é notável que esse é um esporte mais mental do que físico, ao contrário do que muitos pensam.

O fisiculturismo se tornou um estilo de vida para muitos dos praticantes, indo além do esporte. Por isso, o preparo mental e o autoconhecimento são tão necessários quanto a boa forma e a boa alimentação para atingir os resultados propostos.

Quem olha para os atletas bodybuilders pensa que o necessário é apenas se exercitar e manter a alimentação controlada. No entanto, para atingir os objetivos do fisiculturismo, é preciso ter força mental justamente para controlar o corpo em relação à alimentação, aos treinos e à pressão existente nas competições e também no dia a dia para conquistar a definição ideal do corpo.

Isso porque esportes geralmente possuem um poder muito grande de interferir no emocional dos praticantes. Portanto, quando a mente não está preparada para suportar a carga emocional dessa preparação e manutenção do corpo definido, pode refletir diretamente na performance e no resultado final do esporte. Logo, para atingir os resultados e objetivos, os bodybuilders precisam manter o corpo e a mente em completa sintonia.

Para se tornar um atleta de alto nível, como são chamados os melhores em suas categorias, ou para praticar de forma amadora, é preciso se conhecer muito bem. Isso contribui para saber quais são seus próprios limites e até onde o corpo consegue aguentar ou se superar. Ao se conhecer e entender o que seu corpo precisa, é possível manter esse treino mental ativo durante a realização de treinos e até competições, pois as emoções passam a ser mais controladas e não interferem no desempenho.

  • foto: john arano/unsplash