Beleza

Por Redação 02.11.2019

Dos 20 aos 40 – alimentos que ajudam a pele e a beleza

A alimentação influencia em vários processos metabólicos do organismo humano e também é responsável pela nutrição das células. É por esse motivo que alimentos ultraprocessados e com aditivos químicos podem causar inflamação nas células. Além de doenças, uma dieta baseada em industrializados e “calorias vazias” pode acelerar o envelhecimento da pele. “Mas uma alimentação variada, equilibrada e saudável pode fornecer proteínas, antioxidantes e agentes anti-inflamatórios importantes para retardar o envelhecimento precoce”, afirma a dermatologista Dra. Claudia Marçal, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia. Para ajudar no combate ao envelhecimento precoce, a especialista apontou quais nutrientes incluir em sua dieta em cada etapa da vida.

SIGA O RG NO INSTAGRAM

Veja quais são:

20 anos – Nessa idade, os sinais de envelhecimento ainda estão pouco visíveis. Por isso, o foco deve ser a prevenção. Então procure por alimentos ricos em antioxidantes, como as vitaminas C e E, licopeno e betacaroteno, para ajudar a combater e prevenir a formação de radicais livres que favorecem o envelhecimento precoce. Boas fontes desses nutrientes são alimentos como milho, avelã, papaia, tomate, cenoura e morango. “O consumo de vitamina A, presente em alimentos como espinafre, nabo e brócolis, também é interessante nessa idade, pois o nutriente está diretamente envolvido no processo de regeneração celular. Em conjunto, a vitamina A e os antioxidantes ajudam a diminuir o ressecamento e a perda de elasticidade da pele, tornando-a mais macia, hidratada e viçosa”, destaca a médica.

30 anos – A partir da terceira década de vida começa a ocorrer a perda das fibras de colágeno e elastina. Além disso, as células da pele passam a se renovar mais lentamente. Como resultado há o aparecimento de sinais mais acentuados do envelhecimento. “Por isso, o ideal nessa fase é investir em uma alimentação rica em nutrientes de ação anti-inflamatória, antioxidantes e também substâncias fitoquímicas, como isoflavona e polifenóis, que ajudam a combater o estresse oxidativo. Dessa forma, procure por alimentos como peixes, oleaginosas, chás de ervas, cebola, cereja, maçã e alho”, recomenda a especialista. O destaque nesse caso vai para uva, que age como um alimento 3 em 1, combinando propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes e fitoquímicas.

40 anos ou mais – Nessa idade, as fibras de colágeno e elastina degradam-se mais rapidamente, resultando em flacidez e rugas mais acentuadas. A solução para minimizar essas alterações é, novamente, o consumo de nutrientes antioxidantes, que, além de combaterem o estresse oxidativo e a formação de radicais livres, também diminuem a perda de água e os danos causados pelo sol. O consumo do ômega-3 presente na linhaça, no salmão, no atum e na soja também é interessante nessa idade, pois possui efeito anti-inflamatório e confere um aspecto saudável a pele. “O chá verde é outra boa opção para ser incluída na sua alimentação, pois diminui a resposta inflamatória causada pela radiação ultravioleta. Porém, é importante que você evite consumir café, álcool e alimentos ricos em sódio, pois são substâncias que promovem a inflamação e a desidratação dos tecidos”, alerta a dermatologista.

Por fim, a Dra. Claudia ressalta que o mais importante para manter jovem e saudável é que você consulte um médico. Apenas ele poderá recomendar cosméticos, tratamentos e uma alimentação especifica para auxiliar no combate ao envelhecimento da pele.

  • Giovanna Antonelli Foto: Reprodução/Instagram/@giovanaantonelli