Cultura

Por ligia kas 17.09.2019

“Só não dou o peito para Matteo porque não tenho leite”, diz Anderson Di Rizzi

Formado em artes cênicas pela Faculdade Paulista de Artes, nem sempre o ator Anderson Di Rizzi, o Márcio de “A Dona do Pedaço”, viveu pelos palcos. Ele foi jogador de futebol, passando pelos times Guarani e Ponte Preta. Também trabalhou no INSS de Campinas e vendeu perfumes de porta em porta. Mas o destino na carreira artística estava traçado para Di Rizzi.

SIGA O RG NO INSTAGRAM

Ele começou fazendo campanhas publicitárias, depois fez figurações para novela e se apaixonou pela arte de atuar, onde encontrou seu caminho. “Investi em cursos e na faculdade de artes cênicas”, explica.

Com 20 anos de carreira, ele diz ser difícil destacar quais foram os principais de sua trajetória. “É uma pergunta difícil porque, de alguma maneira, todos os trabalhos que fiz até aqui foram muito importantes para a minha carreira. Mas para citar alguns, acredito que o “Sargento Xavier”, da novela “Morde & Assopra”, foi um personagem que marcou o público, começou pequeno e cresceu muito ao longo da trama, foi muito bacana. Também teve o papel no remake de “Gabriela”, onde atuei como o professor Josué. O Palhaço em “Amor à Vida”, na qual contracenei com a querida e talentosa Tatá Werneck, o papel me rendeu algumas indicações e o prêmio de Ator Revelação no Melhores do Ano e por aí vai. Além dos personagens no cinema, que me proporcionaram um aprendizado diferente. No teatro, atuei em muitos segmentos do drama à comédia, e no espetáculo “O Quarto Estado da Água’’ também atuei como produtor e ator, foi uma experiência muito enriquecedora. Atualmente, estou vivendo um momento único na carreira, em que trabalho em três esferas distintas da atuação, na novela “A dona do pedaço’’, com o personagem Marcio, que transita entre o humor e o drama, no teatro com a peça dramática “Um Beijo em Franz Kafka’’, na qual faço o escritor Max Brod, e no longa que comecei a gravar antes da novela “O Segundo Homem’’, em que interpreto um soldado.

Leia a seguir o papo que o ator teve com RG.

Você acaba de ser pai novamente, como é essa experiência e a vida e família?

Ser pai é incrível, eu amo estar com a minha família e participar de tudo relacionado à educação e criação dos meus filhos. Eu brinco com a minha esposa que eu só não dou o peito para Matteo porque não tenho leite, e foi assim com Helena também, rs, eu vejo o esforço que é para a mãe, a gestação já é muito delicada, exige muito da mãe, então, o mínimo que posso fazer é ajudar em todo o resto, troco fraldas, dou banho, faço comidinha da Helena… Quando Helena era mais bebezinha, eu buscava ela no quarto para que a Taise desse de mamar, eu gosto muito de participar, acho importante, não só para ajudar a Taise, mas também pela presença de pai que estou exercendo na vida os meus filhos. Acho fundamental essa troca.

Em “A Dona do Pedaço” você vive Márcio, um personagem que permeia o humor em suas atitudes. Como você construiu esse personagem e como é vivê-lo?

Tem sido incrível dar vida ao Márcio e suas diferentes nuances, hora engraçado e divertido nas situações com Kim (Monica Iozzi) e Silvia (Lucy Ramos), e depois mais sério e firme nas cenas como diretor da fábrica da Maria da Paz (Juliana Paes). Só tenho a agradecer por tanto carinho recebido e pela receptividade do público. Construir o Márcio envolveu muito laboratório e conversas com as super talentosas Juliana Paes, Monica Iozzi e Lucy Ramos, além do diretor e da equipe da novela. É um trabalho intenso, mas muito gostoso de fazer. Tem sido realmente muito especial.

Como é interpretar um cara que fica perdido entre duas mulheres?

Rende muitos momentos engraçados, é diferente do que já fiz na TV e muito distante da minha realidade. A parceria com a Monica e a Lucy tem sido ótima, criamos muito juntos.

A peça “Um Beijo em Franz Kafka” acaba de ganhar nova temporada. Como é interpretar Max Brod, personagem tão oposto a Márcio? Conte um pouco sobre sua experiência na peça.

Interpretar o escritor Max Brod, uma figura tão importante na vida de Franz Kafka, tem sido muito enriquecedor, ainda mais neste momento que, ao mesmo tempo, estou atuando em papéis totalmente distintos na TV e no cinema. Na peça existe uma carga mais intensa e dramática, é um desafio e, ao mesmo tempo, muito prazeroso. As pessoas que vão assistir à peça sempre falam dessa diferença de papéis, e  como é bacana ter esse feedback do público. É muito importante para o ator atuar em trabalhos como este, tem sido muito especial fazer a peça também.

Conte sobre o seu trabalho no filme “O Segundo Homem”, quem é vc no longa, fale um pouco de seu personagem.

Em “O Segundo Homem’’ tenho mais uma oportunidade de mostrar outras vertentes do meu trabalho como ator. No longa eu faço um soldado, que vive um momento delicado com a família por conta do seu desejo de fazer parte de uma legião estrangeira e acaba indo para fora do País. Ele vai se transformando ao longo da trama, e isso tem sido muito enriquecedor para mim como ator. Ainda vamos terminar de gravar, logo após a novela, voltamos a filmar, então, o que tenho para adiantar é isso.

Tem planos de fazer mais cinema? Se sim, tem algo em vista já?

Eu adoro atuar no cinema. Eu vou terminar de rodar o longa ‘’O Segundo Homem’’, de Thiago Luciano, no qual faço o protagonista. Gravamos algumas cenas em Paris, e em dezembro vamos recomeçar a gravar o longa em Sumaré, interior de São Paulo, e na capital também. O longa conta a história de uma legião estrangeira e deve estrear no ano que vem.

Com o passar dos anos e, sobretudo, em “A Dona do Pedaço”, é clara a sua transformação física, ficou sarado e musculoso. Como é sua rotina para manter a forma, o que gosta de fazer, academia, luta, corrida?

O personagem do longa ‘’O Segundo Homem’’ exige um físico mais definido, então intensifiquei os exercícios e eu busco cuidar também da mente com meditações, acho que isso acaba refletindo no meu corpo também. É um conjunto de fatores. Eu tento malhar ao menos três vezes na semana, tenho ajuda dos profissionais da Monday Academia. Tudo isso tem colaborado para conseguir manter esse físico.

Para manter o corpo você tem alguma restrição alimentar? O que não come ou bebe nunca?

Neste momento, minha alimentação tem sido um pouco restrita, com várias refeições em pequena quantidade ao longo do dia, com menos carboidrato e mais proteína. Eu tenho duas refeições livres na semana, que eu posso comer o que quiser, inclusive doce, e eu geralmente escolho esses dias quando estou em família, com minha esposa e meus dois filhos. São refeições que saímos para almoçar com as crianças ou quando vamos em um almoço de família.

Fotos: Sergio Baia.
Make: Dennya Carvalho.
Styling: Lili Garcia e Gerson Passos Jr.

  • Foto: Sergio Baia
  • Foto: Sergio Baia
  • Foto: Sergio Baia
3