Cultura

Por Redação 06.10.2019

José Trassi desponta com projetos no cinema, TV e teatro

Com projetos de destaque nos cinemas e na televisão, além de um monólogo autoral no teatro, 2019 e 2020 prometem ser anos recheados de conquistas para o ator, locutor e dublador paulistano José Trassi.

SIGA O SITE RG NO INSTAGRAM

Nas telonas, Trassi estará no longa-metragem “Carcereiros”, baseado na série homônima produzida pela Rede Globo. Inspirado no livro de Drauzio Varela, narra a vida de agentes penitenciários. Sob o comando de José Eduardo Belmonte, diretor de “Alemão”, entre outros projetos, o filme tem estreia prevista para a segunda metade de outubro.

Trassi será visto também ao lado de Danton Mello e Juliana Paes em “Arigó”, dirigido por Gustavo Fernandez e produzido pela Moonshot, com lançamento previsto para 20 de abril de 2020. A cinebiografia contará a vida do médium mineiro José Pedro de Freitas, conhecido como Arigó, que ficou famoso durante a década de 1950 por realizar cirurgias e curas espirituais. No longa, o ator interpreta Altomir Santos Júnior, ou Preto, personagem real responsável pela digitação em máquina das receitas prescritas pelo espírito de Dr. Fritz. Sua experiência no longa, filmado nas cidades de Cataguases e Rio Novo, em MG, inclusive motivou uma mudança pessoal em Trassi: “O Sr. Altomir era abstêmio. Parei de fumar cigarros e ingerir álcool durante as gravações. Me mantenho sem álcool e tabaco desde então”, explica.

Ainda no cinema, filmou participação no longa-metragem “Divaldo – O Mensageiro da Paz”. Produzido pela Fox e Cine Produtora, dirigido por Clovis Mello e que estreou em 12 de setembro, o filme conta a história do médium baiano Divaldo Franco. Dando vida a Paulinho, Trassi vive a fase em que Franco ainda descobria sua mediunidade.

Em outros projetos nas telonas, Trassi atuou como um pescador que enfrenta uma tempestade no mar no curta-metragem “Amuleto”, de Nico Matteis, cuja estreia acontece ainda neste ano. Em breve, também estreia “Grande Mentira”, longa independente do diretor Leandro D’Errico, em que estrela ao lado de Johnnas Oliva, Gabriel Godoy e Livia La Gatto.

Já na TV, Trassi fará parte de dois projetos que exploram o universo das artes marciais: participa da segunda temporada de “Rio Heroes”, no ar pelo canal pago FOX. Baseada em uma história real, a série acompanha o lutador de jiu-jítsu interpretado por Murilo Rosa e o mundo do vale-tudo.

Ainda atuará em “Os Irmãos Freitas”, coprodução do canal pago Space. Série biográfica, explorará as trajetórias do lutador baiano Acelino “Popó” Freitas e de seu irmão mais velho, o também lutador Luis Cláudio. Nela, viverá um policial que define o destino de um dos personagens. A participação, dirigida por Sérgio Machado, foi filmada em locação, em uma fábrica e uma universidade desativada no bairro da Moóca, em São Paulo – coincidentemente onde também rodou “Carcereiros – O Filme”.

Trassi também integrará a série “Segunda Chamada”, da Rede Globo, cuja trama abordará a vida de alunos e mestres da fictícia EJA (Escola para Jovens e Adultos) Carolina Maria de Jesus, localizada na periferia de São Paulo. “Estou gravando a série no mesmo prédio que estudei quando rodava o seriado ‘Sandy & Junior’, em 2000. Gravo na mesma sala que em estudei 20 anos atrás!”, brinca. “Sandy & Junior” foi seu primeiro trabalho na TV. “Segunda Chamada” tem estreia prevista até o primeiro semestre de 2020 e, nela, Trassi estará ao lado de nomes como Débora Bloch e Nanda Costa interpretando um dos alunos.

No teatro, estreia dia 14 de novembro, Espaço dos Parlapatões, em São Paulo, o monólogo “Invisíveis”, dirigido por Denis Antunes. Para Trassi, o papel “é uma oportunidade de resgatar a empatia pelo ser humano”.

  • Foto: Roma Jr.
  • Foto: Artur Volpi
  • Foto: Roma Jr.
3