Moda

Por Mariana Gonzalez 12.03.2018

Cinco momentos históricos da vida de Hubert de Givenchy

Hubert de Givenchy foi um dos nomes mais importantes do mundo da moda. Apontado pela crítica especializada como “um dos últimos nomes da era de ouro da alta-costura”, o estilista trabalhou à frente da direção criativa de sua maison por quase quarenta anos até sua aposentadoria, em 1995.

Nesse meio tempo, claro, não foram poucos os momentos marcantes da carreira do estilista. Selecionamos cinco highlights de sua trajetória que marcaram não só o mundo da moda, mas das artes e do cinema também. Confira!

PORTAS ABERTAS
Ao contrário do que esperava a família, Hubert de Givenchy não se tornou advogado. Não havia como negar o interesse do jovem que conheceu a alta-costura ainda menino, durante uma exposição em Paris. Antes de atingir a maioridade, o francês já cursava a Escola de Belas Artes de Paris e trabalhava com estilistas como Robert Piguet e Elsa Schiaparelli. Com tamanha experiência, não causa surpresa que o reconhecimento ao abrir a maison, em 1952, tenha chegado tão rápido.

HUBERT E AUDREY: AMIZADE PARA A VIDA TODA
Ainda no início de suas carreiras, Hubert de Givenchy e a atriz Audrey Hepburn se conheceram em 1953, durante as gravações do filme Sabrina. O estilista foi responsável pelo vestido branco bordado usado pela atriz no filme, que na época ganhou o Oscar de melhor figurino. Anos depois, desenhou o “little black dress” de Bonequinha de Luxo, outro clássico protagonizado por Hepburn, musa declarada de Givenchy. A relação dos dois durou até a morte da atriz, em 1993.

A PREFERIDA DE JACQUELINE KENNEDY
Dois anos após abrir as portas da tradicional casa de costura, a fama de Hubert de Givenchy cruzou o oceano e chegou aos ouvidos da primeira dama Jacqueline Kennedy. A americana usou um vestido do estilista pela primeira vez durante uma visita oficial à França em 1961, mas foi fotografada com modelos Givenchy em outras ocasiões, inclusive em jantares ao lado do marido, John Fitzgerald Kennedy, na Casa Branca. Jack foi a primeira de muitas figuras políticas que entraram no portfólio da Givenchy: Grace Kelly de Mônaco e a duquesa de Windsor também eram suas fãs declaradas.

APOSENTADORIA: “VOCÊ DEVE SABER A HORA DE PARAR”
Mais de trinta anos depois de inaugurar a grife, Hubert vendeu a Givenchy para o conglomerado LVMH, com a condição de que permaneceria à frente da direção criativa até sua aposentadoria. Em 1995, anunciou sua retirada da indústria da moda com classe: “Você deve saber a hora de parar”. Os primeiros a ocupar o cargo depois de Givenchy foram os ingleses John Galliano e Alexander McQueen. Um de seus primeiros compromissos oficiais depois da aposentadoria foi uma visita ao Brasil para abrir o Primeiro Congresso Brasileiro de Moda, no Rio de Janeiro.

CONDECORAÇÃO ESPANHOLA
Em 2002, quando já não estava à frente de sua grife, Hubert de Givenchy recebeu a condecoração espanhola Gran Cruz dela Orden Isabel La Católica, no palácio de Viana em Madri. A premiação é concedida pela coroa espanhola a personalidades (políticas ou não) que contribuem com a educação e a cultura no mundo. Já foram condecorados com a mesma medalha nomes como a atriz espanhola Ana Diosdado e o presidente brasileiro Juscelino Kubistchek.

  • A maison Givenchy foi aberta em Paris 1952 e o sucesso foi imediato!
  • A parceria de Hubert e Audrey Hepburn rendeu clássicos do figurino cinematográfico e uma amizade para a vida inteira
  • Em Bonequinha de Luxo, a Givenchy eternixou o "little black dress", que conhecemos como pretinho básico
  • Dois anos depois de inaugurar a maison, a fama de Givenchy chegou aos ouvidos de Jacqueline Kennedy, nos Estados Unidos
  • Em 2002, anos após dua aposentadoria, Hubert foi condecorado com a medalha Gran Cruz de la Orden Isabel la Católica
  • A condecoração é oferecida pela coroa espanhola a personalidades que contribuem com a educação e a cultura
6