Lifestyle

Por Redação 11.07.2018

Como os canudos de plástico estão se tornando os novos cigarros

Depois de pesquisas sobre como canudos de plástico fazem mal ao meio-ambiente se tornarem virais na internet, o utensílio se tornou um verdadeiro vilão do mundo moderno. Na segunda-feira (9), a rede Starbucks revelou que irá abandonar os canudinhos de suas lojas até 2020, apostando em tampas recicláveis para os seus drinks gelados.

A empresa não é a primeira a tomar uma ação do tipo. A American Airlines anunciou que irá começar a eliminar os utensílios de seus lounges e trocá-los por canudos ecologicamente corretos. A rede de hotéis de luxo Hilton também se comprometeu a abrir mão de canudos em suas 650 propriedades através do mundo até o fim de 2018.

Alguns estados e cidades também se posicionaram sobre o item, que se tornou polêmico. O Rio de Janeiro se tornou, na última quinta-feira (5), a primeira cidade a anunciar a proibição de canudos plásticos no Brasil. Na Flórida, cidades como Miami, Fort Myers, e St. Petersburg já baniram o canudo. Nova York introduziu uma lei para proibir o utensílio em seus cinco distritos.

A revolta contra o canudo de plástico também se transformou em humor. No Twitter, internautas compararam as proibições do item com a luta contra o cigarro, que foi banido de aviões nos anos 1990 e, desde então, foi cada vez mais excluído do convívio público, se tornando oficialmente proibido em lugares fechados no Brasil em 2014.

“Logo às pessoas estarão escondendo o uso de canudos, indo discretamente para o lado de fora beber de um”, comentou uma usuária no Twitter. “No último mês, o mundo inteiro decidiu que canudos são os novos cigarros”, escreveu outra pessoa em um post.

Em meio a todo o barulho causado pela restrição do utensílio, diversas marcas sustentáveis vêm lançando outras opções de canudos, como de papel, que, apesar de descartável é biodegradável, ou o de aço inox e vidro, que podem ser reutilizados após lavados.

 

  • Canudos de plástico são banidos de diversas empresas e até mesmo cidades (foto: Pixabay)