Cultura

Por Redação 19.09.2017

Os ícones do modernismo em duas expos

O Modernismo sempre em alta, que delícia. Tem novidades boas na Ricardo Camargo Galeria, que comemora seus 22 anos com duas expos. A primeira é “Ismael Nery” que ocupa uma sala anexa do espaço com uma seleção de 25 trabalhos, muitos há tempos esquecidos e fora do mercado – a última mostra individual dele, com obras à venda, aconteceu há mais de 30 anos.

Já “Recorte Modernista” mostra trabalhos de ícones como Di Cavalcanti, Tarsila do Amaral, Portinari, Antônio Gomide e Anita Malfatti (ao todo são 14 artistas e 40 obras), ou seja, um belo vislumbre da Semana de 22 e do movimento.

Mais: os trabalhos são todos feitos em papel, em diversas técnicas, e o bacana é que são menos conhecidos do grande público, acostumado a ver os mais famosos. Para constar, o material, que tem menos prestígio do que deveria no Brasil, ganha cada vez mais espaço nos grandes museus do globo.

O galerista Ricardo Camargo, que também é curador das duas mostras, dá a dica: “Um bom papel é mais importante, vale mais a pena que uma tela mediana. Enriquece-nos, em vez de apenas enfeitar uma parede”.Ambas são feito da Camargo em parceria com a Dale.

De quebra, uma escultura de Victor Brecheret, que não está ali sem motivo: Dama Paulista (1934), é uma representação de Olívia Guedes Penteado, incentivadora de várias personalidades modernistas e uma das organizadoras da Semana de 22.

 

“Ismael Nery” e “Recortes Modernistas”
Ricardo Camargo Galeria
Rua Frei Galvão 121 | J. Paulistano
De 22 de setembro a 18 de novembro 

LEIA MAIS SOBRE EXPOS AQUI

 

  • Antonio Gomide Celebração cubista, 1922