Cultura

Por Redação 13.09.2017

Frauenpower: o poder feminino

A Galeria Hussein Jarouche abre uma expo para levantar a questão: como a mídia pode influenciar o papel da mulher, ora frágil, ora sexy ou sensualizada. São 24 artistas que fazem parte da curadoria, entre eles a pop austríaca radicada em NY Kiki Kogelnik

Frauenpower“, é uma expressão alemã utilizada para designar poder feminino.

Com este ponto de partida, a mostra tem como foco resgatar um percurso histórico das representações visuais da mulher, a partir das vanguardas da década de 60. Busca discutir questões relevantes sobre a idealização do corpo feminino, construção de padrões estéticos – e uma possível resistência a esses padrões, bem como analisar questões sociais e antropológicas dessas imagens.

O ideal de beleza e perfeição, arquétipo da Vênus de Botticelli, surge como base da construção dos processos de auto-imagem e consequentemente negação e afirmação, vistos nos trabalhos de Marina Abramovic, Sandra Gamarra e Lenora de Barros, e que encontram na figura da musa ícone seu contraponto, característica fundamental na produção de Andy Warhol e Russel Young. Aborda ainda a questão do consumo, a partir da objetivação dos corpos, sexualização e misoginia e a consequente influência imagética feminina na figura masculina, transcendendo limitações de gênero, visto nas imagens de Vânia Toledo, Nan Goldin e Carlos Vergara.

 

 

Serviço:

Galeria Houssein Jarouche

Rua Estados Unidos, 2205, Jardins, São Paulo

Tel. 11 3061 1424 / 3061 0690

Abertura no sábado (16.09) das 14h-18h

 

  • Allan D'arcangelo