Cultura

Por Redação 06.09.2017

Alessandro Roma: um sonho vívido

Em “Vivid Dream – sonhar pode nos salvar?“, o italiano Alessandro Roma coloca o espectador em contato com experiências e descobertas das mais diversas. Em uma expo tridimensional onde a sinestesia, corpo, cores e outros estímulos falam por si.

A curadoria é da diretora da Collezzione Maramotti Marina Dacci, que trouxe este último trabalho para o grande público. E que estiver em Londres, by the way.

 

Imagens que são fruto de pesquisas do artista, são ainda imprevisíveis, e aparecem e somem como se estivessem no seu imaginário criativo. Os visitantes podem tocar suas pinturas e tecidos aplicados em gesso para sentir diferentes texturas, ou ter a sensação de total vazio e escuridão.

As cores, durante o percurso, nunca ficam estáveis ou bem definidas. Ou seja, uma mostra como poucas, e, como já fica claro, um show para se surpreender e uma viagem sinestésica, pois.

Depois de viver anos em Londres e Roma, Alessandro se estabeleceu em Milão, onde abriu o leque de possibilidades de técnicas de trabalho, muito além da pintura. Impressões de tecidos, cerâmicas, colagens e esta última apresentação mostram do que ele é capaz. “Sonhar pode nos salvar?”, então, é a pergunta que ele nos deixa.

No currículo, mostras individuais e coletivas em Londres, Nova York, Chicago, Milão…

“Vivid Dream – can dreaming save us?”
 Yamamoto Keiko Rochaix Gallery  – Londres
De 4 de setembro a 17 de dezembro

Mais infos no link!

  • The skin of the tree trunk Alessandro Roma